BRASIL – ONU alerta para o impacto da violência armada em crianças e adolescentes e pede ação integrada do Brasil.

A representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para Proteção Contra Violência, Najat Maalla M’jid, fez um alerta contundente sobre a situação preocupante de crianças e adolescentes que continuam sendo vítimas da violência armada. Em suas palavras, enfatizou que, embora seja fundamental combater o crime, isso não pode se traduzir na morte violenta de jovens em nossa sociedade.

Durante sua recente visita ao Rio de Janeiro, nos dias 19 e 20 de junho, Najat Maalla participou de reuniões com autoridades do Poder Público, representantes da sociedade civil, lideranças jovens e movimentos sociais. Em um encontro com jovens apoiados pelo Unicef, ela ouviu relatos impactantes de violência e racismo, além de discutir políticas para a prevenção dessas questões.

Mães e familiares de vítimas da violência armada compartilharam com a representante da ONU suas lutas por justiça, apoio e reparação do Estado. Foi ressaltada a importância de uma resposta rápida e eficiente do sistema de justiça para evitar uma vitimização dupla das famílias afetadas.

Durante suas reuniões com autoridades locais, incluindo o prefeito Eduardo Paes e representantes do sistema de justiça e da Defensoria Pública, Najat Maalla discutiu aprimoramentos nos sistemas de proteção de crianças e adolescentes, políticas de prevenção à violência em áreas vulneráveis e a implementação da Lei da Escuta Protegida. A representante da ONU enfatizou a necessidade de ações integradas e protetivas em todos os níveis do governo para acelerar a proteção das crianças.

Além da visita ao Rio de Janeiro, Najat Maalla também passou por Brasília e Boa Vista, onde continuou suas discussões sobre a importância de proteger a infância e a juventude em um cenário de crescente violência armada. Suas ações e recomendações têm como objetivo contribuir para um ambiente mais seguro e acolhedor para as crianças do Brasil.

Botão Voltar ao topo